8 Dias no Tibet

40

O Tibet povoa minha imaginação há anos. Conhecer esse lugar mágico e misterioso era sonho de adolescência do meu pai, que passou o sonho pra mim. Pra minha sorte, meu pai foi meu companheiro nessa incrível jornada de 8 dias no Tibet e pelo nosso coração tibetano, o que fez a experiência ser ainda mais importante!

tibet-lhasa-vista-potala

A inesquecível viagem de 8 dias no Tibet

Onde Fica o Tibet?

O território do Tibet ocupa uma grande parte do centro oeste da China, e é mesmo o topo do mundo, com altitude média de 4.200 metros.

Do avião já conseguimos ver como é a estrutura das cidades, geralmente localizadas nos vales entre imensas montanhas.

tibet-vista-aerea

A Região – Autônoma ?! – do Tibet

O principal roteiro turístico começa em Lhasa, principal cidade tibetana, localizada no coração do TAR (Tibet Autonomous Region), ou Região Autônoma do Tibet, que de autônoma não tem nada.

Isso mesmo! Infelizmente o Tibet vive sob intensa ditadura chinesa, que controla liberdades individuais dos tibetanos, e os proíbe, entre tantas outras coisas, de exercer sua religião. Não se pode sequer citar o Dalai Lama sem sofrer consequências, muitas vezes violentas, e em chinês! A bandeira tibetana foi proibida e os tibetanos não têm a liberdade de ir e vir. Eles são obrigados, diariamente, a se calar.

Tibet

Planejamento da viagem

Permissão Especial para Entrada de Estrangeiros no Tibet

A entrada de estrangeiros em território tibetano é super regulada, especialmente depois das manifestações de  2008, quando o governo chinês fechou as portas do ‘país‘ e colocou o exército armado nas ruas. Pra entrar no Tibet, é necessária uma permissão especial para estrangeiros, além do visto chinês, e essa permissão vale ouro! Conheci histórias de pessoas que tentaram 3 ou 4 vezes e tiveram sua entrada negada, mesmo com tudo reservado.

Tibet

Até 2012 eram necessários grupos com mais de 4 pessoas da mesma nacionalidade para a obtenção da permissão. Em 2013, quando visitamos o Tibet, o governo chinês tinha afrouxado um pouco as regras, mas de qualquer maneira, nunca se sabe quando o governo chinês fechará novamente as fronteiras tibetanas.

Uma das condições pra conseguir a permissão é a contratação de guias durante toda a estadia no Tibet, e pra resolver os problemas burocráticos procurei uma agência local, em Lhasa para me ajudar a organizar a viagem.

Tive boas surpresas, e alguns probleminhas, como atraso do transfer aeroporto-Lhasa, falta de água quente no hotel, mas nada que atrapalhasse muito e que não tenha sido solucionado. Comprei tudo online, antes de ir, assinei contrato, escaneei documentos, pedi o visto chinês em São Paulo, e deu tudo certo.


Saiba como tirar o visto chinês fácil fácil em São Paulo!


Como previnir o mal de altitude

A doença da altitude pode se manifestar a partir de 2700 metros, portanto, o ideal é fazer tudo bem devagar, com muita calma. Como chegaríamos aos 5.250 até o fim da viagem, fizemos um pré tratamento durante 5 dias com comprimidos de Gingko biloba. Os mais céticos podem me desacreditar, mas pra mim a Gingko biloba deu certo. Me senti disposta, não tive dor de cabeça, com apetite, e foi tudo ótimo.

Também recomendo a compra de um tubo de oxigênio logo na chegada a Lhasa – é muito fácil de se encontrar nas lojinhas nas ruas e hotéis -, porque é a melhor solução para estes sintomas mais moderados do mal da altitude. É sempre bom também ficar de olho aberto para sintomas mais graves.


O blog Mineiros na Estrada publicou um post muito legal sobre o mal de altitude. Dá só uma olhada!


Não se esqueça do seguro viagem!

Se você está pensando em encarar uma viagem assim, é essencial contratar um seguro viagem. É uma garantia em caso de algum acidente ou emergência. Já pensou que dor de cabeça?!

E digo mais, depois de uma experiência experiência recente de cancelamento de viagem de última hora, a gente sempre contrata o seguro viagem assim que compramos as passagens, já que alguns seguros oferecem reembolso de reservas de hotéis e passagens aéreas em caso de impossibilidade de viajar.

Desconto de 5% na contratação de seguro viagem usando nosso código!

Nossa dica é usar o site da Segurospromo, para comparar planos variados, de vários seguradoras em uma só plataforma simples e fácil de usar. Como eles são nossos parceiros, todos os leitores do Tô Pensando em Viajar ganham um desconto de 5% na contratação de qualquer seguro viagem. É só usar o código TOPENSANDO05 durante sua compra no site.


Quando você usa nossos links de afiliados para contratar seguro viagem, reservar seu hotel e alugar um carro a gente recebe uma comissão e continua mantendo o Tô Pensando em Viajar. Você dá uma força e não paga nada mais por isso!


Roteiro Resumido: 8 Dias no Tibet

Dia 1: Chegada em Lhasa (Aclimatação)
Dia 2: Lhasa
Dia 3: Lhasa
Dia 4: Lhasa para Shigatse, passando por Gyantse
Dia 5: Shigatse até o Acampamento Base do Everest
Dia 6: Acampamento Base do Everest de volta para Shigatse
Dia 7: Shigatse para Lhasa
Dia 8: Lhasa (Lago Namtso)

Roteiro Detalhado: 8 Dias no Tibet

  • Lhasa

Nosso roteiro começou em Lhasa, ou em tibetano, ལྷ་ས, que significa lugar dos deuses, centro político e religioso da região autônoma do Tibet.

Tibet

Muita coisa já mudou na cidade, e muita coisa ainda vai mudar daqui pra frente. O frenético ritmo de demolição e reconstrução era sentido em toda a cidade, que mesmo arranhada, repicada, dilacerada, consegue se manter firme em suas tradições milenares graças à força e à consciência de um povo maravilhoso, que merece ser respeitado e reconhecido como ÚNICO.

tibet-lhasa-old-city

Em Lhasa os detalhes são encantadores. As ruelas da cidade antiga, os peregrinos e suas rodas de oração, as crianças sorridentes, e o barulho das bicicletas, carros e rickshaws são marcas que carrego e sinto frescas em mim toda vez que penso em Lhasa, e como foi viver tão intensamente aquela realidade. Gostei tanto que acho que ela merece um capítulo só dela nessa jornada!


Lhasa, a cidade dos deuses


  • De Lhasa a Shigatse

De Lhasa fomos até Shigatse – rumo ao oeste -, segunda maior cidade tibetana, muito usada como base para as viagens até o acampamento base do monte Everest.

Lago Yamdro

No caminho passamos pelo inacreditável Lago Yamdro Tso.

Tibet

Vale do Rio Nyang

E pelo vale do Rio Nyang, com paisagens cinematográficas do Plateau Tibetano.

Tibet

Tibet

  • Gyantse

A viagem continuou por Gyantse, considerada antigamente como a terceira cidade tibetana, de grande importância para os budistas tibetanos em especial pela grande estupa octogonal chamada Kumbum, contruída em 1427.

Tibet

  • Acampamento Base do Everest | EBC

Para os mais durões, a ida até o Acampamento Base do Everest (do lado tibetano), à partir de Shigatse é imperdível! Cansativa, mas imperdível. Uma oportunidade única na vida, diria eu!

O que mais pesa durante esta viagem são os tempos de deslocamento. Não se deixar enganar pelas curtas distâncias numéricas. No Tibet levamos cerca de 5, 6 horas para percorrer os 250 quilômetros entre Lhasa e Shigatse, na estrada boa, e os 300 até o acampamento base do monte Everest demoraram quase 12 horas, pois 150 deles são estrada de terra em zigue zague. Viajar em uma van velha, que não sabíamos se ia chegar inteira até EBC, de madrugada, no meio do nada foi um pouco estressante e tenso…

Tibet

Mas toda a tensão e preocupação sumiram quando chegamos até o ponto de observação  à tempo de assistir ao sol se pôr sobre os Himalayas. Foi algo inexplicável!

Himalayas, no Tibet

Estávamos diante da maior cadeia de montanhas do mundo, estávamos, literalmente, no topo do mundo, com uma vista privilegiada para o Monte Everest, ou Qomolangma, a mãe do mundo, como chamam os tibetanos.


Monte Everest, a mãe do mundo!


Acho que a viagem até a base do Everest serviu muito para que eu pudesse sentir na pele a poderosa e ‘primitiva’ energia do lugar, de um povo tão ligado às forças da natureza. Consegui logo entender porque as montanhas, os lagos, os animais são tão especiais e sagrados para os budistas tibetanos.

  • De Volta a Lhasa

Do E.B.C voltamos para Shigatse, onde passamos outra noite e seguimos de volta para Lhasa. Dessa vez para explorar um pouco mais, e sozinhos esta incrível cidade.

Tibet

Tibet

O próximo post sobre a viagem para o Tibet será sobre a incrível e misteriosa Lhasa, cheia de segredos, mitos e cenários de tirar o fôlego!

Tibet

Viva o vídeo!

Você tem curiosidade pra saber como é conhecer o Tibet?! Já assistiu nosso Vídeo Inspiração Tibet pra ter um gostinho do que é viver uma cultura milenar como a cultura tibetana!


Leia mais sobre o Tibet:


Salve esse artigo no Pinterest e aproveite todas as nossas dicas por lá!

Roteiro de 8 dias no Tibet

E não se esqueça!!

Usando nossos links pra encontrar ofertas de hospedagem, comprar seguro viagem e alugar um carro você ajuda o Tô Pensando em Viajar e se manter e não paga nada mais por isso!


Você pode seguir o TÔ PENSANDO EM VIAJAR nas redes sociais

FACEBOOK, INSTAGRAM, e TWITTER


Salvar

Salvar

Compartilhar
Alessandra Fratus
Viajante, fotógrafa, e bióloga. Largou tudo e ganhou tudo ao mudar de rumo em 2012 depois de defender um doutorado em biologia molecular na USP. Desde então vive, viaja e trabalha com foto e vídeo, sua verdadeira vocação. Ama viajar fora do esquema turistão e gosta mesmo é de paisagem humana!

40 COMENTÁRIOS

  1. Atualmente moro no Japão e daqui é relativamente “fácil” viajar pela. Ásia, sempre viajei por conta própria, faço tudo (visto, passagem, seguro, reserva de hotel, roteiro de passeios).

    Recentemente meu esposo veio com a idéia de irmos o Tibet, acabei chegando ao seu blog. Pelo seu relato já vi que o melhor a fazer é contratar uma agência, mas as agências aqui só oferecem pacotes para o Tibet junto com China e Nepal e nós não temos todo esse tempo disponível por causa do trabalho. A minha pergunta é: a agência local que você foi tem um bom suporte em inglês?

  2. ops. li agora que tem resposta ( tinha feito a pergunta na outra página sobre visto 2 entradas acaso visite Tibet). Parabéns pelo site e pelas informações, fotos, etc….. Utilíssimo.

  3. Oi Alessandra!
    Realmente o Tibet é um lugar especial, uma viagem que marca!
    Li seus posts antes de ir e agora passo para agradecer todas as suas dicas (inclusive a do ginkgo biloba) e deixar mais uma para os seus leitores: meu marido e eu tivemos uma ótima experiência com a agência Tibetan Guide, que é composta por tibetanos, então deixo mais esse contato para os interessados (inclusive postei minha avaliação no Tripadvisor: https://www.tripadvisor.com/Attraction_Review-g294223-d4367400-Reviews-Tibetan_Guide_Day_Tour-Lhasa_Tibet.html).
    Abraços!

  4. Que viagem mais linda!!! Um grande sonho nosso também. Temos visto de múltiplas entradas para a China, mas precisamos correr atrás dessa autorização especial. Uma pena sermos obrigados a contratar guia. Gostamos de ficar mais livres. De qualquer forma, a dica da agência foi uma boa. Parabéns pela matéria, deu mais vontade de ir ainda! Abraços, Cristina e Renato – Blog Pegadas na Estrada

  5. Oi, Alessandra! Obrigado pela sua postagem! Foi ótima! Estou planejando uma viagem para a China e o Tibet está nos planos. Tenho uma duvida: como do Tibet vou voltar para China, sabe se é necessário visto chines de duas entradas? Obrigado!

    • Oi Daniel, tudo bem?! Obrigada pela visita. Você precisa apenas do visto de 1 entrada, já que o território do Tibet é China. Mas além do visto chinês você também precisa de uma autorização especial pra entrar no território tibetano. Boa viagem!

  6. Oi Alessandra! Muito obrigado por abrir seu coração pra gnt! Essas paisagens, a arte de viver no teto do mundo e o respeito pela natureza, me lembraram a querida Bolívia! Queria te pedir os dados da sua agência, to indo pra China em Abril, e já estava buscando por alternativas que causassem impacto e encantamento, acho que encontrei! Hehehe! Se vc puder me passar tb seu pacote, gastos no geral, (acredito que vc já tenha td salvo, devem te pedir muito) te agradeço demais! E se tiver dicas de lugares únicos, na China fora dos roteiros habituais, por favor não exite em me recomendar! Hehehe! Um forte abraço!

    • Fala, Ivan, tudo bem?! Muito obrigada pela visita. Realmente, o Tibet tem MUITO da Bolívia, ou seria o contrário?! ;)! Eu viajei com um pacote da Tibet Travel, e o preço do pacote é bastante salgado (mais de U$2k/pessoa). Dá uma olhada no site deles, são várias as opções de pacote. Mas se eu fosse você, eu com certeza iria pras bordas do Território Autônomo do Tibet. É o que pretendo fazer no próximo ano, ou depois… Além de ser bem mais barato, você vai poder ter contato com costumes tibetanos ‘livres’. A situação atual dentro do TAR é muito complicada, e não sei se recomendo ir pra lá. Vou escrever sobre isso em breve! Abração e boa viagem!

  7. Primeiro parabens pelo relato. Mto bom! Eu gosto de planejar a viagem c antecedencia e pelo q entendi soh saberei se posso entrar no Tibet quando eu estiver dentro do territorio Chines. Eh isso? Abcs

    • Oi Fernando, obrigada pela visita. Tudo depende do meio que você escolheu para organizar o pedido da sua permissão. Eu contei aqui a minha experiência com a Tibet Travel. Converse com seu agente, e pergunte todas essas questões pra ele. Abraços.

  8. Olá Alessandra, adorei o seu blog que lindas fotos… Que maravilhosa experiência… Estou planejando ir este ano ao tibet… Você poderia me enviar um email com as informações da agencia e as formas de pago que você ultilizor, o tour você pago estando no Brasil ou na China? Obrigado

    • Oi Eduardo, obrigada pela visita! Fechei o pacote com a CITS Tibet Travel. Tivemos alguns probleminhas: ficamos esperando mais de 5 horas no aeroporto, no sol, dentro da van, e o primeiro hotel não tinha água quente. Recomendo pesquisar um pouco antes de fechar com eles, ou com qualquer outra agência. Utilizamos o Paypal para pagar metade do pacote, antes da viagem, e pagamos a outra metade, em dinheiro, em Lhasa. Fechei tudo antes, daqui do Brasil mesmo, tudo online. Abraços e boa viagem!

  9. Alessandra adorei seu relato e dicas. Estive no Nepal (2004) adorei! Mas senti uma certa tensão também.
    Posso imaginar no Tibet.
    Obrigada! Silvia J Costa

  10. Olá Alessandra,

    Gostei do seu relato contando da sua viagem, muito bom mesmo ! Mas tenho uma duvida.. tenho só alguns dias de ferias em maio, você acha que uma semana a 10 dias no max seria um tempo muito pequeno para aproveitar? E vi resposta que vocÊ deu a uma leitora que voce fechou com o tibet travel as questões burocráticas, voce também fechou com eles os roteiros ou fez por conta própria?
    Desde já agradeço pela atenção.

    Giovanna Mangabeira

    • Oi Giovanna, obrigada pela visita. Não sei como anda a situação do Tibet, mas quando eu fui era impossível viajar de maneira independente. Você é obrigado a fechar um pacote com uma empresa. Você tem poucos dias, e a viagem vai ser bem corrida, principalmente se você for até o EBC. Recomendo fazer as coisas com mais calma. Boa viagem!

  11. Oi Alessandra
    Com qual companhia aérea vc foi para Beijing? E dentro da China vc usou qual companhia aérea? Muito grata mais uma vez pela ajuda!

  12. Oi Alessandra! Adorei as informações do Tibet. Em outubro de 2015 terei 30 dias de férias e estou programando uma viagem para China, tibet e Nepal. Vc teria algúm contato dos guias(as viagens contratadas) e tb os vistos, como vc conseguiu? Posso pedir a permissáo de entrada com antecedencia?
    Muito grata pela ajuda!

    • Oi Ana, viajei pela Tibet Travel, e foram eles que organizaram todas as questões burocráticas. Acho que as permissões não são emitidas com tanta antecedência, porque dependem muito da situação política da região, e o fechamento da fronteira para estrangeiros acontece com certa frequência. Boa sorte!

  13. Olá Alessandra, muito legal os seus textos sobre a sua passagem pelo Tibet.
    Conheci o Nepal alguns anos atrás e amei!!! Agora gostaria de fazer um roteiro Pequim, Lhasa e Kathmandu com a minha família em 2015. Você pode me passar o contato da agência de viagem para fazer a parte do Tibet? Foi um serviço local (chinês/tibetano)? Tenho feito diversas viagens internacionais com operadoras locais contratados via internet e sempre rola um “medo” de que os serviços realmente vão acontecer…
    Se você puder me passar os detalhes dos serviços contratados (roteiro, tipo de acomodação, translados incluídos, preço e forma de pagamento). Aiiiii desculpe a minha “cara de pau”…
    Não entendi perfeitamente a questão de você conseguir somente a permissão de entrada no Tibet 2 dias antes. Você contrata a viagem, paga e fica na indefinição de conseguir a permissão… é usual acontecer isso???
    Obrigadão. Sem palavras pela ajuda.
    Parabéns pelo site.

  14. Alessandra, boa noite!

    Parabens pelo blog!

    Embarco dia 5 de novembro p Nepal, butao e Tibet, fico por 15 noites e tenho algumas duvidas:

    1 eh melhor visitar o Everest pelo Nepal ou Tibet?
    2 eh possivel alugar um off-road p ir ao campo base ou so de van?
    3 qtos dias devo ficar em Lhasa? Pensei em 2 dias.
    4 VC tem dicas p o Nepal e butao?

    Grato, H

    • Oi Helton, obrigada pela visita. Dá prá fechar um guia particular sim. Infelizmente não estive no Nepal, portanto, não posso te dar nenhuma dica própria, mas acredito que seja um lugar maravilhoso, e menos ‘tenso’ que o Tibet. Eu ficaria 3 dias em Lhasa! Abraços.

  15. Oi Alessandra!!!
    Mto bom seu blog! Parabens!
    Como contratou o guía para o Tibet? Como solicitar o visto, por favor?

    Agradeco desde ja

  16. Cara Alessandra sua narrativa será de grande ajuda para mim e minha esposa. Ano que vem, 2015, iremos para lá, não só para conhecer o sonhado Tibet, como para um trekking pelas paisagens do Himalaia. E seu texto, sem duvida irá nos ajudar. Chegaremos ao Tibet vindos do Nepal. Obrigado!

  17. Olá,

    Adorei seu blog e particularmenteeste relato do Tibet. Estou programando uma viagem em novembro e uma agência fez o seguinte roteiro: day 01 In Lhasa, day 02 – Lhasa/ Gyantse, day 03 – Gyantse/ Shigatse, day 04- Shigatse/ Lhasa. O que acha? Muito corrido? Vale a pensa ir a Gyantse e Shigatse mesmo com os longos trajetos?Muito obrigada,
    Mariana

  18. Adorei. Parabéns pelo blog
    Em maio/14 estaremos em Lhasa. Espero que os chineses nos dêem o visto.
    Já fui a Mc Leod Ganj, e alimentei o desejo de conhecer Lhasa por mais de 10 anos.
    Seu relato me pareceu muito cuidadoso.
    Mais uma vez muito obrigada.
    Att
    Sonia

  19. Oi,Alessandra,

    É um sonho pra mim ir ao Tibet. Estive em Mc Leod Ganj na Índia, a terra onde vive o Dalai Lama e desde então não consegui tirar esse desejo da cabeça. Preciso visitar o Tibet. Me fez reviver as ruas de Mc Leod Ganj com muita ternura. Grata pelo seu relato, Irei acompanhar. Moro na Itália e tenho um blog onde falo sobre viagens por aqui. Venha me visitar se puder (www.grazieateblog.com)
    Um abraço,
    Isabela

    • oi Isabela, adorei o seu blog! Já o adicionei à minha lista de favoritos! O Tibet é muito muito muito especial. Tenho certeza que você sentiu isso com tantos tibetanos vivendo e Mc Leod Ganj. Muito obrigada pela visita e comentário. Beijos.

  20. Thank you for the gorgeous landscape pictures, Alessandra! “Que lindo”, indeed! They bring out so well the spectacular beauty of this high plateau. I appreciate your black and white shots as well: they create a somewhat somber mood making me think of the hardships suffered by the Tibetan people in silence, behind the scenery.
    I look forward to see more of your photographs!
    Gisele

  21. viagem incrível, companheira maravilhosa, blog nota 10, todos podem confirmar as dicas que são realmenbte importantes para quem tem essa grande curiosidade de ver esta cultura milenar e com uma incrível espiritualidade..parabéns Alessandra…

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário!
Digite seu nome