Vontade de viajar pode estar nos seus genes

Você é do tipo que não consegue parar de pensar em viajar?! Faz as malas pra uma viagem pensando na próxima?!

Não desgruda do seu passaporte?! Just in case…

2015_BAGAN_1729

Calma, você não está sozinho!

Estudos científicos apontam que cerca de 20% da população mundial carregam o chamado GENE DA AVENTURA.

COMO ASSIM?!

Isso mesmo! O seu desejo incontrolável de viajar pode estar marcado no seu código genético, mais especificamente no gene DRD4, também chamado de ‘gene da aventura’. O DRD4 é um gene variante, relacionado ao controle de DOPAMINA, um neurotransmissor que tem um papel importante no sistema de aprendizado e recompensa.

Indivíduos que apresentam o alelo DRD4-7R ativado, são criativos, inquietos e estão sempre pensando em viajar em busca de novos mundos.

SERÁ?

Estudos realizados por Chaunsheng Chen em 1999 mostraram que o alelo DRD-7R tem maior prevalência em civilizações mais distantes da África, suposta origem da humanidade, e em populações nômades.

DAVID DOBBS, em estudo de 2012, para a National Geographic, confirmou que o alelo DRD4-7R, promove as características ‘aventureiras’. Além disso, segundo o estudo, os indivíduos que possuem este alelo são mais propensos a correr riscos, explorar novas ideias, lugares, e relacionamentos.

ALE_1349

Mais que isso. Existem evidências de que o DRD4-7R está ligado a características neandertais,  que apontam características como criatividade, pioneirismo, engenhosidade,  mas também podem indicar fácil perda de controle, e propensão a vícios.

** Se você quiser pirar de vez, leia esse texto aqui ó: SURPRISING WAY YOUR NEANDERTHAL GENES MAY AFFECT YOU.

Por outro lado, é óbvio que nenhum gene tem poder ou influência suficiente, para determinar, sozinho, uma coisa tão complexa quanto ‘vontade de viajar’. O gene é apenas parte da equação.

E você? Da onde vem sua VONTADE DE VIAJAR?!

Tô pensando em viajar, e você?!

Facebook

Compartilhe!
Alessandra

ALESSANDRA é viajante, fotógrafa, e bióloga. Largou tudo e ganhou tudo ao mudar de rumo em 2012 depois de defender um doutorado em biologia molecular na USP. Desde então vive, viaja e trabalha com foto e vídeo, sua verdadeira vocação. Ama viajar fora do esquema turistão, e gosta mesmo é de paisagem humana!

Leia também...