Largo do Arouche

O Largo do Arouche é uma praça tradicional da região central da cidade de São Paulo, Brasil. Situa-se no distrito República. Seu nome foi alterado várias vezes: Largo do Ouvidor, Largo da Artilharia, Praça Alexandre Herculano. O atual é uma homenagem ao marechal José Arouche de Toledo Rendon. No local, diversos floristas foram-se instalando aos poucos, com a retirada das bancas existentes na Praça da República pelo prefeito Armando de Arruda Pereira. Assim, o Largo do Arouche transformou-se no Mercado das Flores, oficializado em 1953, e por essa razão é também conhecido como Praça das Flores. Abriga importantes esculturas de renomados artistas, tais como:a Menina e o Bezerro, obra do escultor carioca Luís Christophe, encomendada pelo prefeito Raimundo Duprat; Afonso d’Escragnolle Taunay um dos maiores historiadores brasileiros, principalmente na história das bandeiras paulistas, uma obra concebida pela artista plástica Claude Dunin; Amor Materno, escultura que traz uma cadela e seu filhote, em cena que costuma comover quem passa pelo largo, obra do francês Louis Eugéne Virion, adquirida na década de 1910. A Academia Paulista de Letras tem sua sede no Largo e homenageou o imortal Aureliano Leite, com um busto no largo, inaugurado em 1979, dois anos após a morte do escritor, historiador e político. Obra do escultor Luís Morrone. No Largo começam a rua Jaguaribe, a rua Amaral Gurgel, a avenida Duque de Caxias e a rua do Arouche. Em seu lado oposto passa a avenida Vieira de Carvalho. Esses dados constam na planta genérica da cidade de São Paulo.