Viagem para Myanmar: Por Onde Começar?

Não me lembro exatamente quando surgiu pela primeira vez a ideia da viagem para Myanmar. Talvez tenham sido as imagens hipnotizantes de Steve McCurry, um dos meus fotógrafos preferidos, que sempre me transportaram para um paraíso terreno, ao mesmo tempo mágico e cru, original, verdadeiro. Não somos todos, somos?

A vida como ela é. O que precisamos pra viver?! Estar vivo, oras! Mora aí meu interesse.

Myanmar, Mianmar, Burma ou Birmânia é um grande país no sul da Ásia, que faz fronteira com a China (Tibet), Índia, Tailândia, Bangladesh e Laos.

Viagem para Myanmar

É a misteriosa terra dourada, rica em pedras preciosas, e terra natal dos mais incríveis artesãos. Laca, mármore, bronze, you name it!

Viagem para Myanmar

Um paraíso comandado por uma junta militar (SLORC), que só em 2012 começou a se abrir para o turismo estrangeiro, causando um boom no número de turistas – e nos preços, diga-se de passagem -, iniciando um processo de intensas e rápidas transformações.

Viagem para Myanmar

Bye Bye Burma

Myanmar era uma colônia britânica, chamada Burma – Birmânia em português -, e tornou-se independente em 1948. Só em 1989 a junta militar mudou o nome do país de Burma para Myanmar.

Apesar da resistência internacional e da NDL, a Liga Nacional para a Democracia, principal grupo de oposição à junta militar, o nome Myanmar foi incorporado, mesmo porque, ambas as palavras tem as mesmas raízes etimológicas.

Como já dá pra perceber, a instabilidade política no país, apesar de mais controlada nos dias de hoje, ainda existe, e é algo a ser vencido nos próximos anos.

Viagem para Myanmar: Por onde Começar?!

Pesquisa e Planejamento

Durante todo o processo de planejamento dessa viagem recebi muitos incentivos. Tantos, que espero que até o final deste texto você também se anime!

Viagem para Myanmar

Usei a nova edição do Lonely Planet Myanmar (Burma), que é sempre um favorito, e me foi muito útil, mas não é dos mais completos. Como eu já disse, as coisas em Myanmar estão mudando em uma velocidade alucinante, e as publicações não conseguem acompanhar esse ritmo.

O Rough Guide, outro best seller também lançou uma nova versão do seu guia de Myanmar, e pode ser uma alternativa interessante.

Agora, se você quer boas referências em português, no último ano pipocaram pela rede ótimos relatos de blogueiros e blogueiras, com dicas super práticas, e que me ajudaram muito. No final deste texto, você tem acesso a uma lista com as referências online que usamos e abusamos durante o planejamento do nosso roteiro.

Visto

Brasileiros podem pedir o visto online. É um processo muito fácil, custa U$50, pagos com cartão de crédito. A resposta chega por e.mail, e depois é só imprimir o visto e levar ele com você.

Viagem para Myanmar

Achei o processo todo tão fácil que não recomendaria outra alternativa.

Turismo Responsável

Viajar para um país que vive sob uma ditadura militar pode ser bem complicado. Minha experiência no Tibet em 2013 me deixou muito preocupada e apreensiva, mas depois de ler muitas opiniões sobre o assunto, resolvi arriscar.

Não me arrependi. Aliás, me arrependi pelo pouco tempo que passei lá. Foi uma das experiências mais incríveis da minha vida.

Foi como estar em casa

Viagem para Myanmar

Sei que neste exato momento você pode estar se perguntando: mas por que raios viajar pra Myanmar?! E eu te respondo, caríssimo leitor: Por tudo isso, mais e agora! Antes que o país seja ‘higienizado pelo turismo Mastercard’.

Pra você ter uma ideia, apesar dos números estarem subindo, Myanmar recebe apenas 1% do número de turistas do vizinho famoso, a Tailândia. E isso é uma das coisas que torna – agora – toda a experiência no país ‘mais verdadeira’, ou ao menos deveria tornar.

Além disso, recomendo que você independente. Esqueça as grandes agências de turismo. A experiência de interagir com o povo de Myanmar, sem interferências, sem ‘artificialidade’ é uma das coisas mais bonitas neste destino.

Viagem para Myanmar

Contratando guias locais, escolhendo hotéis familiares, e evitando voar pela companhia aérea do governo, conseguimos fazer com que o dinheiro gasto ali chegue mais facilmente nas mãos da população, que é quem realmente precisa, e não do governo.

Roteiro

Nosso Roteiro de 8 Dias em Myanmar incluiu as 4 principais paradas de um itinerário típico no país:

Sofia e a turma em Myanmar!

YANGON | BAGAN | LAGO INLE | MANDALAY

 Quando ir para Myanmar

Myanmar tem duas estações diferentes:
Outubro a maio: Estação seca.
Maio a outubro: Estação chuvosa, ou época das monções.

Os meses de março a junho costumam ser os mais quentes do ano, com temperaturas altíssimas, geralmente maiores que 40 ° C.

Viajamos em março, e o calor era intenso, mas não insuportável. Em Bagan, principalmente, começávamos o dia BEM cedo, com uma parada para almoço e descanso até às 15, 15:30. Foi essencial para termos feito uma viagem tranquila, sem nenhum problema de saúde física ou mental!

Como chegar em Myanmar

Voamos até Yangon a partir de Bangkok pela Air Asia, em um voo tranquilo de 1 hora de duração.

A volta foi Mandalay-Bangkok, também com a Air Asia, que oferece traslado grátis do centro da cidade (79th Street) até o aeroporto, e vice-versa.

Em Myanmar…

Para os voos domésticos, escolhemos a Asian Wings, por indicação de um amigo, piloto de avião que trabalha na Ásia. Você ainda pode voar de Air Bagan, Air KBZ, Air Mandalay e algumas companhias menores.

Como reservar as passagens online nestas companhias pode ser bem complicado, contei com a Seven Diamond, agência local, para fazer as reservas dos voos. Quanto mais cedo você fizer a sua reserva, melhor é a tarifa da viagem.

Uma coisa muito importante é confirmar seu voo através do telefone um dia antes de voar. Geralmente o que fazíamos era pedir para que o pessoal no hotel fizesse esta confirmação.

Você também pode viajar de ônibus e de trem pelo país, uma maneira BEM mais econômica. Mas como não tínhamos muito tempo, escolhemos o avião. Não nos arrependemos. Valeu cada centavo. Quanto mais cedo você fizer sua reserva, melhor é o preço da passagem!

Voamos 3 vezes de Asian Wings, e apesar da tensão bimotor, não tivemos nenhum problema, e gostamos bastante do serviço e pontualidade da companhia.

Dinheiro

A melhor escolha é levar seu dinheiro em notas novas de 100 dólares, sem nenhuma marca ou amassado.

O ideal é trocar seu dinheiro no aeroporto ou no banco, onde você consegue a melhor taxa de câmbio.

Sofia e a turma em Myanmar!

1 USD = 1000 KYAT

Pagamentos com cartão de crédito geralmente têm um acréscimo de 2-5%, e a preferência é sempre por Mastercard, a primeira operadora de cartão de crédito a atuar no país. Levei um susto no desembarque em Yangon com tantas propagandas da Mastercard e da Samsung.

Você também encontra vários ATMs espalhados pelas cidades maiores, e hotéis, mas é melhor não contar com eles não.

Onde Se Hospedar em Myanmar

Tudo vai depender do seu roteiro e do seu orçamento, e como você logo vai perceber, Myanmar não é dos países mais baratos do sudeste asiático não. E com o boom do turismo, a tendência dos preços é subir!!!

Vou deixar aqui as dicas dos hotéis que ficamos durante nossa visita de 8 dias em Myanmar:

Nosso estilo de viagem é econômico com conforto, prezando a localização dos hotéis. Por isso fizemos essas escolhas.

Se você preferir, pode procurar outras ofertas em hospedagem em Yangon, Bagan, Lago Inle e Mandalay. Usando os links do Tô Pensando em Viajar você ajuda a manter o blog e não paga nada a mais por isso!

Viaje tranquil@! Não se esqueça do seguro viagem

Pra viajar tranquilo é sempre recomendável fazer um seguro viagem. A gente nunca sabe quando vai ter uma emergência. Usando a Real Seguros você pode comparar coberturas e valores de seguro viagem. Além de encontrar o melhor preço e a cobertura ideal para sua viagem, você não paga iof, tem atendimento em português e ainda pode dividir em até 6 vezes sem juros! Bom demais, né não?

Seguro viagem asia 728x90
Usando os links do Tô Pensando em Viajar você ajuda a manter o blog e não paga nada mais por isso!

Recomendações

1. Tire seus sapatos antes de entrar nos templos. Acho que essa é a dica mais importante. Eu mesma esqueci algumas vezes e levei várias broncas.

2. Vista-se de maneira confortável, mas esqueça shorts e/ou regatas. Mesmo os rapazes… Joelhos e ombros devem estar cobertos dentro das pagodas e dos templos.


Uma dica bem legal são as camisetas da Extreme UV.Elas são ótimas, super confortáveis e levinhas e ainda possuem proteção solar.

Sofia e a turma em Myanmar!

Nem preciso dizer que foram aprovadíssimas! Usamos muito e adoramos a praticidade de poder lavá-las na pia do quarto de hotel. Eles foram nossos parceiros nesta viagem, e produziram camisetas personalizada para toda a turma aqui.

Salve essas dicas no Pinterest pra não esquecer!


Outras Referências Online sobre Myanmar

– Lá Vai Nana

Bagan, a alma de Myanmar
Desbravando Bagan de bike elétrica
Como se lovomover em Bagan, Myanmar

– Projeto 101 Países

Bagan: a cidade de mais de 2 mil templos
Yangon, a nossa porta de entrada em Myanmar

– Viaje Sim!

Myanmar, Burma – uma introdução
Myanmar na Prática
Um Dia Em Yangon


Leia mais sobre Myanmar:


Você pode seguir o TÔ PENSANDO EM VIAJAR nas redes sociais

FACEBOOK, INSTAGRAM e TWITTER


Salvar

Salvar

Compartilhe!
Alessandra

ALESSANDRA é viajante, fotógrafa, e bióloga. Largou tudo e ganhou tudo ao mudar de rumo em 2012 depois de defender um doutorado em biologia molecular na USP. Desde então vive, viaja e trabalha com foto e vídeo, sua verdadeira vocação. Ama viajar fora do esquema turistão, e gosta mesmo é de paisagem humana!

Leia também...

19 Comentários

  1. Myanmar foi amor à primeira vista! Tudo tão simples e tão mágico ao mesmo tempo ;) Tive a sensação de ter entrado em outra dimensão nos dias que passei por lá. É muito diferente, né?
    Obrigada pela referência!
    Beijos

  2. Deu até saudade desse lugar incrível! Foi um país que me emocionou demais e, sem dúvidas, o que eu mais gostei de conhecer até hoje! Tive a experiência de ficar hospedada em lugares bem familiares e fui tratada como uma filha. Obrigada pela referência! <3
    Beijos!

  3. Pat Alves disse:

    Oi, Alessandra! Como foi o contato com a Seven Diamond? Pagaram as passagens antes de sair do Brasil? FEstou querendo um voo de uma das cidades do lago Inle para Yangon. Como vocês fizeram?

  4. Adorei as dicas, é sempre bom se ligar nesse tipo de coisa até pra não perder tempo e principalmente dinheiro!

  5. Tatiane Dias disse:

    Adorei saber que passaram 8 dias e foi pouco.
    Estou planejando 10 e fiquei com medo de ser muito.

  6. Amiga disse:

    Finalmente encontrei um lugar (o seu blog) onde eu possa encontrar todas as informações para uma viagem. Seu post foi o veredito final que eu precisava para fechar a compra da passagem. Gratidão!

  7. Oi Ale! Estou adorando os posts, me ajudaram muito!
    Você lembra como funcionava a franquia de bagagem com a Asian Wings? Não achei no site deles e vou entrar em contato com a agência para comprar as passagens internas..
    Beijão!

    • Alessandra Alessandra disse:

      Oi Thais, tudo bem?! Que bom saber que você vai explorar Myanmar! É um país incrível!! Olha, acho que eram 20kg, mas eu nem cheguei a despachar. Viajei só com uma mochila de mão. Os aviões são pequenos, e se o voo estiver cheio, talvez impliquem mais. Comigo nem pesaram a mala, nem nada! Se precisar de mais alguma coisa é só falar! Beijão.

  8. Glauce disse:

    Tenho uma pergunta agora em novembro vou a Myanmar, chego em Yangon já tenho o evisa, mas depois de pedi-lo vi que meu passaporte está FI…. eu pensei que fosse o número 1, então assim eu informei, por acaso em casa eu vi outros passaportes antigos e me chamou a atenção que todos começavam com 2 letras, aí na parte pontilhada vi que era I (letra i maiúscula e não 1) eu informei como F1 e era FI, entrei em contato com o site que solicitei o e visa e eles informaram que não podem modificar porque eles enviaram tudo explicando direitinho, para confirmar, etc que era minha responsabilidade e só fazendo um n ovo. O q vocês acham?????????????????? 50 dólares é muita grana, vou ter q dar mais US$50???? Como funciona na prática????????? eles olham com tanta atenção assim??????? não vão me deixar entrar por um equívoco de uma letra????????????
    aguardo
    [email protected]

    • Alessandra Alessandra disse:

      Oi Glauce, olha, acho que é melhor você pedir outro visto mesmo. Se o número do passaporte não é o mesmo, vão implicar sim. Com certeza. Abs e boa sorte.

  9. Tania TG disse:

    Oi Alessandra, tudo bem?
    Que post fantástico… eu sinceramente também não sei onde descobri Myanmar mas sei que foi num daqueles artigos de “países lindos e pouco explorados” e encantei me com a imagem dos templos com os balões e disse pra mim que iria pra lá em breve. E olha, n é que estou planejando ir em Fev de 2017? :) suas dicas tiram todas as dúvidas a quem pretenda se aventurar nesse país tão lindo. Queria uma ajuda sua, eu contactei a agência “seven…” que disseste e eles estão querendo fazer a cobrança via cartão. Não me sinto segura nisso. O que você recomenda? E um pacote de 4 dias por quase 900 dólares. Acho que febre do turismo já lhes está a subir. Percebi pelo seu post que encontrar guias é bem fácil, se calhar seria o melhor não é? Mas eu preciso de uma agência local para a compra dos meus bilhetes (Yangon – Bagan) e também o passeio do balão. Recomendação de outra agencia, sff.

    Beijinhos e parabéns mais uma vez.

    • Alessandra Alessandra disse:

      Oi Tania, tudo bem?! Tenho certeza que você vai amar Myanmar! Eu faria a viagem de maneira independente e apenas compraria as passagens através da agência, que foi como fizemos. Com certeza você vai economizar uma graninha, e ainda vai poder fazer as coisas no seu tempo. Realmente, Myanmar não é dos países mais baratos no sudeste asiático, mas vale a pena conhecer o quanto antes. Também é super fácil achar guias. Os hotéis em que você ficará hospedada vão ter indicações. Muito obrigada pela visita, e boa viagem!

  10. mariana disse:

    Ei eu não entendi o passeio de trem em yagon. Você pegou o trem e foi pra onde?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *