Campina

Campina é um bairro histórico localizado na cidade de Belém, capital do estado brasileiro do Pará. É um bairro de fortes referências para Belém, tanto como cultural quanto econômica. O bairro faz parte dos cortejos da procissão religiosa do Círio de Nossa Senhora de Nazaré. O bairro também é importante para o turismo belenense, nele estão cartões postais como o Theatro da Paz (Uma das Sete Maravilhas do Brasil), o Ver-o-Peso e a Estação das Docas, também está na região centros culturais, como a Academia Paraense de Letras. Com sua característica comercial mantida desde o final do século XIX que erroneamente lhe é atribuído o nome de Comércio, sendo que este nome está até mesmo em suas placas de ruas, no entanto a denominação do nome oficial do bairro continua sendo Campina. Muitas de suas ruas foram criadas no período colonial, o traçado do bairro é composto de ruas estreitas e quarteirões irregulares. Com o tombamento do bairro, a Campina se tornou uma área onde os empreendimentos imobiliários ficaram estagnados, pó conta das normas municipais que não permitem a construção de edifícios no local. Porém o bairro continua sendo valorizado, o centro comercial com sua grande variedade de serviços, a localização estratégica, o contato com o patrimônio histórico, a comodidade é principalmente o fato de o bairro ser ponto de passagem da procissão religiosa do Círio de Nossa Senhora de Nazaré foram responsáveis por ainda manter o metro quadrado da Campina entre os mais caros da capital paraense. A primeira grande avenida da cidade foi aberta nesta região, como o Nome de Avenida 15 de Agosto, atualmente é uma das mais importantes vias da capital paraense, com o Nome de Avenida Presidente Vargas. Nesta avenida está sedes de bancos como Banco da Amazônia, Banco do Estado do Pará e Banco do Brasil, a sede regional do Ministério da Fazenda, e nas proximidades, o Banco Central, além de prédios com representações de empresas, configurando dessa forma o coração financeiro da capital do Pará. Apesar de ser o segundo bairro mais antigo de Belém, Campina concentra o maior número de imóveis históricos da capital paraense, abrigando centenas de casarões e sobrados que datam dos séculos XVIII e XIX. A Campina juntamente com parte do bairro da Cidade Velha, forma o Centro Histórico de Belém, um dos maiores e mais íntegros conjuntos urbanos do país tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 2011. O bairro destaca-se também pela grande quantidade de praças, sendo o bairro de Belém com maiores áreas de praças. Por conta da intensa atividade comercial na porção norte da Campina, é uma grande movimentação de pessoas e veículos durante o dia, porém essa atividade comercial causa uma pequena presença de moradores, o que torna o local soturno as noites e madrugadas. Apesar do tombamento, ainda existem muitos problemas que dificultam a conservação deste valioso patrimônio cultural. O principal deles é a má utilização da área como Centro Comercial(O Comércio). Casarões seculares são ocupados por estabelecimentos comerciais que em muitos casos, modificam, alteram e descaracterizam essas construções, outra adversidade é a poluição visual, que atinge níveis alarmantes, causada pela quantidade abusiva de placas publicitárias das lojas e os vendedores ambulantes que ocupam irregularmente ruas e calçadas, causando um grande transtorno na área. Há também inúmeros casarões que foram destruídos ou estão sendo destruídos para dar lugar a estacionamentos clandestinos. O trânsito caótico, o abandono dos proprietários e o descaso das autoridades contribuem ainda mais para a depredação da memória da cidade. O velho centro comercial possui poucos moradores, o que deixa suas ruas desertas e causa sensação de insegurança em seus pedestres durante a noite..