Bolívia – Um Pulinho no Lago Titicaca

3

A BOLÍVIA pode não ser o destino mais procurado por viajantes brasileiros, mas revela muitos encantos. Um deles, com certeza é o autêntico LAGO TITICACA. Acima dos 3800 metros de altitude e localizado no CORAÇÃO DOS ANDES, na fronteira com o Peru, com várias pequenas cidades às suas margens, que ainda conservam muito do modo de vida dos seus ancestrais.

Lago Tititicaca

PUNO, no Peru e COPACABANA, na Bolívia, são as principais bases de apoio aos viajantes que desejam explorar as belezas do lago navegável mais alto do mundo.

No nosso caso, como estávamos vindo de La Paz e com destino à Cusco, no Peru, escolhemos a pequena cidadezinha de Copacabana para desfrutar de dois incríveis dias às margens do lago.

Titicaca_04

O trajeto de 5 horas entre La Paz e Copacabana, incluindo uma pequena travessia de balsa, é belíssimo e vale a pena ser feito durante o dia.

Titicaca_03

Curiosamente, a praia carioca, de fama internacional, foi batizada em homenagem a uma réplica da imagem de Nossa Senhora de Copacabana que foi trazida da Bolívia para o Brasil. E em se tratando de religiosidade, estamos falando de Copacabana, reduto de PEREGRINAÇÕES para os bolivianos.

Toda branca, com imponentes portões de madeira entalhados (que muito me chamaram a atenção por representar indígenas e não apenas o homem branco, colonizador), a imensa igreja católica, desproporcional para o tamanho da pequena cidade, mas de uma simplicidade encantadora, chama atenção de quem chega.

Titicaca_22

Acertamos justamente o feriado da Semana Santa e pudemos presenciar várias festividades católicas, como o tradicional batismo dos carros. A cidade estava lotada!

Titicaca_25

Copacabana inteira é uma graça. A rústica orla da cidadezinha é um encanto a parte. Nela, encontram-se alguns restaurantes tradicionais, nos quais é possível degustar diversas maneiras de preparo da deliciosa TRUTA do Lago Titicaca, com uma vista estonteante. Por todo o lago, avistam-se curiosas embarcações tradicionais, feitas de TOTORA, uma planta aquática parente do junco, que fornece uma palha resistente. As proas dos barcos são decoradas com uma espécie de carranca de totora, o que as tornas muito singulares.

Titicaca_21

A totora é tão importante para as comunidades ribeirinhas tradicionais, que elas constroem inclusive ilhas flutuantes com esta palha. As famosas ilhas, abertas a visitação, são as ISLAS FLOTOANTES DE UROS, no lado peruano. Porém não tivemos oportunidade de vistá-las.

Voltando a Copacabana, um dos passeios que realmente vale a pena de se fazer é subir o CERRO CALVÁRIO para assistir ao espetacular por do sol no lago. A vista do topo do morro é de tirar o fôlego! Literalmente, porque a pequena subida, iniciada a mais de 3800 m de altitude, justifica a palavra calvário! Leve uma garrafinha de água e aguarde o espetáculo.

Titicaca_06

Titicaca_08

Outro passeio imperdível para quem está em Copacabana é conhecer uma das pérolas do Titicaca: a ISLA DEL SOL. Há diversas maneiras de se conhecer a pequena ilha, sem acesso para veículos motorizados. Reserve ao menos um dia inteiro para explorá-la. Há inclusive viajantes que optam por pernoitar na ilha para desfrutar de tamanha tranquilidade. Este lugar pitoresco, onde o tempo parece ter parado, é considerado o berço da CIVILIZAÇÃO INCA.

Titicaca_16

Chega-se à ilha em pequenas embarcações que atracam tanto no lado norte como no lado sul da ilha. No lado sul há mais estrutura (se assim podemos dizer): pequeninos comércios como lanchonete, restaurante e rústicas hospedarias. Optamos por descer do lado norte, onde se encontram as prováveis RUÍNAS DA FUNDAÇÃO DO IMPÉRIO INCA, acompanhados de um guia. Poder contemplar aquelas construções em pedras, templos antigos, brindados com a beleza do lago e com a cordilheira andina de pano de fundo, é uma sensação única. Depois da breve explanação feita pelo guia sobre aquele sítio arqueológico, seguimos por uma trilha de pedra bem sinalizada, rumo ao lado sul.

Titicaca_12

Titicaca_11

Titicaca_14

A trilha cruza a ilha no sentido norte-sul, e com aproximadamente 8 km de extensão, é um desafio físico! Em sua maior parte é praticamente plana e mais elevada que o nível do lago (o que promove uma visão privilegiada), mas há pequenos trechos de subida, que são suficientes para me lembrar da falta que faz alguns glóbulos vermelhos a mais no sangue! Mas o cansaço é compensado pelas paisagens incríveis! O azul profundo do lago contrastando com os morros verdes entalhados por terraços de plantações, mantidos desde a ocupação pré-inca do lago, é realmente lindo. Neste espetáculo de cores, as formações rochosas exibem o branco, marrom, laranja e amarelo, delineados em abruptas silhuetas dobradas.

Titicaca_15

Titicaca_17

Titicaca_20

É excepcional a paz que se sente neste local… cruza-se com poucas pessoas pelo caminho, alguns viajantes percorrendo a trilha, alguns nativos, pastoreando lhamas, trajados com as coloridas roupas tradicionais, pequenas e rústicas habitações… é realmente uma paz de espírito estar naquele local cercado de belezas naturais e de elementos culturais tão vivos.

Finalizamos a trilha do lado sul, perto das 16 horas, quase o horário limite para retornarmos com o último barco para Copacabana. À noite ainda brindamos a singularidade do lago degustando mais uma vez a truta do Titicaca acompanhada de uma PACEÑA, a cerveja boliviana inúmeras vezes premiada como a melhor cerveja do mundo.

Assim encerramos nossa breve exploração ao território boliviano e seguimos para o Peru!

Titicaca_19

Textos: Gabriella Fontaneta | Fotos: Emiliano Castro de Oliveira

Saiba Mais Sobre a BOLÍVIA:

Compartilhar
Gabriella Fontaneta

Gabriella é nascida no litoral paulista, tem 28 anos e é geóloga. Gosta de paisagens pitorescas e também de vivenciar a cultura de povos diferentes.

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá pessoal!!
    primeiramente parabéns pelo blog, sensacional suas dicas.
    O Lago Titicaca é o lago navegável mais alto do mundo com seus 8300 km2, também é o segundo maior da América do Sul. Está localizado entre o altiplano peruano-boliviano à 3800 metros de altitude, com uma profundidade máxima estimada de 360 m. A temperatura varia entre 7°C e 11°C, dependendo da estação.
    peru somente não é machu picchu temos muitos outros puntos turísticos e gastronomia de qualidade.

  2. Sensacional esse relato, deu muita vontade de conhecer o local!
    Parabéns pelo texto! Poucas são as pessoas que dividem seus conhecimentos de forma tão agradável!

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário!
Digite seu nome