O Acre Existe!

Em 2013, exatamente 1 ano depois que mudei de rumo, eu desembarcava em Rio Branco, no Acre, pra viver a minha primeira aventura acriana. De lá, rodamos mais cento e poucos quilômetros até o município de Acrelândia, Brasil, quase Bolívia. Nossa base durante a viagem.

O Acre existe

Quem me convidou e botou lenha nessa aventura foi o Marcelo, coordenador do Projeto Malária, professor e pesquisador da Parasitologia, no ICB (Intituto de Ciências Biomédicas) da USP, departamento que frequentei por muitos anos, durante o desenvolvimento dos meus projetos de mestrado e doutorado.

Mesmo depois de todos os anos de pesquisa com malária, estar em campo, em plena área endêmica era novidade e mistério pra mim. O Acre é quase uma lenda. Mesmo quem nunca pensou em conhecer o estado já se perguntou alguma vez na vida:

O Acre existe?!

O Acre existe

Nossa rotina durante esta viagem era acordar bem cedo e rodar, diariamente, 120 km pela BR 364 e outros 50 de estrada de terra até o Ramal do Remansinho, no município de Lábrea (AM) um lugar muito peculiar na fronteira entre Amazonas, Acre e Rondônia.

Foi lá que aprendi o que significa uma estrada ruim, e como o ‘ser brasileiro‘ é muito maior, e envolve muito mais do que a nossa rasa realidade.

O Acre existe

O Acre Existe!

Uma das coisas que mais me marcou durante esta viagem foi o importante papel da escola do ramal na vida das crianças e população local.

O Acre existe

Uma das pesquisadoras do time preparou uma aula sobre vermes e verminoses, e a reação e atenção das crianças e dos adultos foi emocionante, e é um sentimento que levo sempre comigo. Separei essa galeria de fotos pra tentar dividir um pouco com você…

O Acre existe

O Acre Existe

O Acre existe

O Acre existe

O Acre Existe

O Acre Existe

O Acre existe

O Acre Existe

O Acre Existe

O Acre existe

O Acre Existe

Emocionante, né?!

Essa viagem me marcou profundamente, e desde então onde quer que eu vá, estou sempre tentando encontrar o Acre…


Você pode seguir o TÔ PENSANDO EM VIAJAR nas redes sociais

FACEBOOK, INSTAGRAM, e TWITTER

Compartilhe!
Alessandra

ALESSANDRA é viajante, fotógrafa, e bióloga. Largou tudo e ganhou tudo ao mudar de rumo em 2012 depois de defender um doutorado em biologia molecular na USP. Desde então vive, viaja e trabalha com foto e vídeo, sua verdadeira vocação. Ama viajar fora do esquema turistão, e gosta mesmo é de paisagem humana!

4 Comentários

  1. O mesmo sentimento que compartilho em relação aos nossos vizinhos do norte: “como o ‘ser brasileiro‘ é muito maior, e envolve muito mais do que a nossa rasa realidade.” Realmente é raso nosso conhecimento da realidade desta região e pensamos que existe alguma “superioridade” do homem da cidade sobre o homem de cidadezinhas como Acrelandia ou Lábrea . Somos iguais, inclusive no sofrimento. Pude vivenciar isto ao visitar algumas cidades do Norte tb.

    Abraços.

    • Alessandra Alessandra disse:

      Estamos [email protected] sob o mesmo céu, não é mesmo, Vaneza?! Obrigada pela sua visita e comentário.

  2. Que legal esse trabalho… Eu também fui ao Acre, tenho raízes familiares lá, e fiz um post falando que o Acre existe sim. Eu adorei

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *