24 Horas em Verona, na Itália

Ahhh, Verona… um sonho Shakespeariano

24 horas em Verona

… para a multidão de turistas, que no verão, invadem a ‘pequena’ cidade italiana em busca de vestígios de uma das mais famosas histórias de amor do mundo, a de Romeo e Giulieta…

24 Horas em Verona

Vamos passar o dia percorrendo os principais pontos do centro histórico da romântica cidade, teletransporte direto pro passado imaginário de Shakespeare.

24 horas em Verona

Como chegar em Verona

Chegamos em Verona não tão cedo, e de carro, que é como gostamos de viajar, e pra quem está de carro, uma das coisas mais importantes na Itália é saber onde você pode ou não estacionar, ou mesmo até onde você pode ir com seu carro.

É sempre mais garantido parar o carro fora do centro histórico, de preferência em um dos vários estacionamentos públicos disponíveis nas grandes – ou pequenas – cidades. Em Verona, as opções mais próximas do centro histórico são: Citadella, Arena e Tribunale.

Se você vai em agosto, época caótica, procure acompanhar o número de vagas livres em cada um dos estacionamentos nas placas eletrônicas à caminho da arena. Desta forma você não perde tempo com estacionamentos lotados. Pra quem não está de carro, dá pra chegar em Verona com o trem ou ônibus também, sem problema nenhum.


Aliás, se você estiver em Verona, vale a pena dar um pulinho no Lago di Garda, uma das regiões mais lindas da Itália, ainda pouco exploradas pelo turista brasileiro. Pra ler mais sobre o Garda, é só acessar nosso post Roteiro de 2 a 5 dias no Lago di Garda, e se inspirar!


Verona Card, o pulo do gato!

O pulo do gato em Verona, mesmo que você só fique 1 dia na cidade, é o Verona Card. Ele garante acesso livre ou reduzido em diversos museus e monumentos da cidade, e ao transporte público. A versão válida por 24 Horas custa 15 euros e a de 72 Horas 20 euros, e está disponível em vários pontos de venda pela cidade.

Torre di Lamberti

Compramos os nossos na lojinha da Torre di Lamberti e aproveitamos prá subir – de graça com o cartão – até o alto, e aproveitar uma super vista da cidade.

24 horas em Verona

24 horas em Verona

24 horas em Verona


*DICA: A Comune di Verona oferece vários roteiros temáticos ou não com informações sobre cada local. Vale a pena dar uma olhada.


Casa di Giulieta

Depois de uma voltinha na Piazza delle Erbe, faça uma pausa para um gelato de chocolate e laranja na gelateria Venchi e siga para a famosa Casa di Giulieta pra fazer a famosa foto segurando o seio direito da mocinha. O ingresso no museu também é grátis com o cartão.

24 horas em Verona

24 horas em Verona

24 horas em Verona

Centro Internazionale di Fotografia Scani Scaligeri

Em seguida pudemos ver ao vivo e em cores – de graça também – uma exposição Mmaravilhosa do magnífico fotógrafo americano Gordon Parks no Centro Internazionale di Fotografia Scani Scaligeri.

Durante os anos 70, escavações revelaram uma série de ruínas romanas. Aliás, é um dos mais extensos sítios arqueológicos em áreas urbanas do norte da Itália e ver a exposição ali, em meio àquelas ruínas foi uma experiência única. Pena que era proibido fotografar.

24 horas em Verona

Você ainda pode visitar o Complesso del Duomo, o Museu di Castelvecchio e a Tomba di Giulieta.

Anfiteatro Arena

Além do Anfiteatro Arena e você nem precisa pegar a fila imeeensa. Com o Verona card é só passar no guichê exclusivo e entrar! Quer coisa melhor?!

24 horas em Verona

24 horas em Verona

Outra dica legal pra quem não quer andar, é pegar o ônibus sightseeing. Geralmente sou contra esse tipo de experiência, ainda mais em Verona, uma cidade incrível pra andar e se perder por entre as ruas, histórias, cores, mas se você não tem muito tempo, ou não está disposto para andar, é uma opção.

+ Encontre OFERTAS DE HOSPEDAGEM em VERONA

Leia Mais Sobre a Itália:


Você pode seguir o TÔ PENSANDO EM VIAJAR nas redes sociais

FACEBOOK, INSTAGRAM, e TWITTER


Compartilhe!
Alessandra

ALESSANDRA é viajante, fotógrafa, e bióloga. Largou tudo e ganhou tudo ao mudar de rumo em 2012 depois de defender um doutorado em biologia molecular na USP. Desde então vive, viaja e trabalha com foto e vídeo, sua verdadeira vocação. Ama viajar fora do esquema turistão, e gosta mesmo é de paisagem humana!

Leia também...