Procurando Banksy em Toronto

IMG_0922

A minha pesquisa antes da viagem para Toronto em agosto de 2012 foi bastante intensa. Além dos lugares para visitar, das exposições e dos bares, ainda pesquisei bastante sobre a arte de rua na cidade, e o que descobri foi ouro! Toronto é uma cidade riquíssima em arte de rua, apesar – ou como consequência – da administração linha dura do prefeito Rob Ford, que abraçou como missão, a “limpeza” das paredes da cidade, distribuindo multas a proprietários de estabelecimentos que tenham fachada grafitada, transformando artistas em procurados da polícia. Essa catastrófica forma de lidar com a arte urbana só provocou mais turbulência, transformando o prefeito em personagem recorrente em stencils e lambes. O pessoal do documentário ‘Between the lines‘ tem feito um trabalhando incrível desde que o Ford assumiu a prefeitura, acompanhando alguns dos principais graffiti writers de Toronto como Spud e Deadboy.

Toda essa agitação me deixou animada, e eu esperava ver muita, mas muita coisa pela cidade. Nessa pesquisa, um artigo do site Torontoist – referência muito boa prá quem vai visitar a cidade – me chamou bastante atenção: ‘Where to Find Banksy’s Toronto Pieces’ , ou ‘Onde achar obras do Banksy em Toronto‘. Na mesma hora anotei as indicações e fui procurar. Acredita-se que Banksy esteve em Toronto pela primeira vez em maio de 2010 e pintou em 7 locais diferentes, mas só 2 ‘sobreviveram’…

O primeiro no lado leste da Spadina, entre as ruas Sullivan e east side of Spadina, na rua Phoebe, bem judiado. Este lugar fica bem perto da ‘Chinatown’ torontoense. Passamos por ele na ida para o Kensington market, uma região muito especial da cidade, cheia de cor e estilo.

IMG_1018

Como Toronto é uma cidade plana e era verão, andamos muito, muito mesmo, e também utilizamos o street car (bondinho), para nos levar até o lado oeste da Queen, e vice-versa. O street car é bem legal, custa $3 e o cobrador é o próprio motorista, e só aceita dinheiro exato (ou os passes). Para descer basta pisar no segundo degrau que a porta abre. Se isso não acontecer, pode se dirigir ao motorista educadamente, falando: ‘Excuse me! Can you open the door, please? (Com licença, poderia abrir abrir a porta, por favor?).

Já o segundo Banksy estava atrás de uma proteção plástica, num beco do lado oeste da Church Street, próximo ao The Esplanade. Centro histórico da cidade, bem próximo ao nosso hotel.

IMG_0882

Você não sabe quem é o Banksy?!

Ficamos hospedadas no Holiday Inn Express Toronto Downtown, hotel que recomendo. Quarto bom, com uma vista bacana, limpo, com café da manhã super gostoso – com máquina de panquecas e tudo! -. Mas, se você é como eu e adora um café espresso, esqueça o café canadense, é mais fraco que o americano – principalmente no hotel -. Se você estiver morrendo de vontade de tomar um espresso gostoso – e forte – pode pedir um duplo no Tim Hortons, vem até no copinho pequeno. Por favor! O Holiday Inn fica na Rua Lombard, bem próximo à Church Street e à Queen, do lado leste, uma super localização.

A região do hotel é bem bacana, bem perto do Distillery Historic District ($10 de taxi), do St. Lawrence Market – e as mais lindas berries (frutas vermelhas) que já vi – . Saíamos à pé quase todas as noites, sozinhas, sem maiores problemas. Fomos a um pub ótimo bem pertinho do hotel, o PJ O’Brien. O único ponto negativo da região foi que às 9 da noite não tinha quase nada aberto mais, e foi super difícil arranjar um lugar prá jantar. Só o que tinha aberto era um subway – bem ruinzinho, prá falar a verdade -.

O lugar que mais gostei em Toronto me foi apresentado pelo querido amigo Carlinhos, a região do Kensington market, que com certeza merece uma visita exclusiva, e de preferência prá uma refeição! É uma área cheia de arte de rua, por todos os lados, colorida, alto astral, até meio hiponga. Se você adora um lugar diferente, Kensington market oferece ÓTIMAS surpresas.

IMG_1027

IMG_1033-2

IMG_1029

IMG_0933

IMG_0929-2

IMG_0920-2

IMG_0944

IMG_0930-2

IMG_0954-2

IMG_0950-2

IMG_0947-2

IMG_0953

IMG_0936

Toronto é uma cidade muito limpa e organizada, uma cidade grande com cara de interior. Vale a visita!

 

Compartilhe!
Alessandra

ALESSANDRA é viajante, fotógrafa, e bióloga. Largou tudo e ganhou tudo ao mudar de rumo em 2012 depois de defender um doutorado em biologia molecular na USP. Desde então vive, viaja e trabalha com foto e vídeo, sua verdadeira vocação. Ama viajar fora do esquema turistão, e gosta mesmo é de paisagem humana!

1 Comentário

  1. Adrienn Balla disse:

    Lembra do Banksy do lado do predio que estava framed?! It is gone! Estao construindo do lado, e nao sei se destruiram, ou se retiraram com cuidado… to be found out…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *